MILITANTE DO MPLA FOI ESCURRAÇADO JUNTO COM SUA FAMÍLIA (mulher e filhos)

MILITANTE DO MPLA FOI ESCURRAÇADO JUNTO COM SUA FAMÍLIA (mulher e filhos)

5. Maio 2022 0 Por Araújo
MILITANTE DO MPLA FOI ESCURRAÇADO JUNTO COM SUA FAMÍLIA (mulher e filhos) DO COMITÉ PROVINCIAL PELO DIRETOR DO GABINETE DO BENTO FRANCISCO BENTO
O militante que muito fez e quer continuar a trabalhar pelo partido dos camaradas disse que foi pra lá porque está desempregado, tá passando por N dificuldades, variadíssimas necessidade e está sem teto para albergar a família e nem mesmo um pouco de comida para manter em pé o estômago da sua família.
Matutinando com a cabeça, resolveu reportar a situação pelo Secretário municipal do Cacuaco (Nelson Funeti) de maneira a ver resoluto o caso, mas infelizmente não obteve sucesso apenas foi aconselhado para se dirigir até ao comité provincial e lá dariam solução imediata…
O militante totalmente desperado entendeu ir com a família até ao comité provincial para que os camaradas sentissem compaixão e ou a sua dor, infelizmente por azar acabou humilhado! O Diretor do Gabinete do Secretário provincial do MPLA o Sr. Bento Francisco Bento, CAMUTO usou a sua arrogância chamando uma equipe que orientou em tom alto da seguinte forma “ME METEM FORA ESSA GENTE E AGORA, SAIAM FORA SAIAM, PÁ!”
O militante de base ou sei lá como considero, junto com sua esposa e filhos sairam envergonhados e o homem quase chorou pois nem o caso do teto nem mesmo o da alimentação foi resolvido.
No dia de Domingo recebi um telefonema do militante que foi escurraçado pelo Irmão do mesmo partido político, pedindo a mim que queria muito conversar mas que se encontrava numa situação bastante constrangedor. Eu disse que não estava disponível mas se se apressasse sacrificaria meu tempo e falariamos sim.
Depois de uma hora e meia voltou a ligar me dizendo que estava na paragem com a família (filhos) e lá fui eu a busca deles, a ser verdade o seu semblante revestiu em mim profunda tristeza mas tive que me conter para não produzir outros mal estares.
Chegamos em casa e começou a contar…
Eu cheguei perto de lacrimejar por tudo que ouvi, mas lá no fundo eu estava mesmo chorando pois depois tive que sair para limpar as lágrimas na sua ausência de maneira a evitar com que eles me vêem.
Depois de voltar eu disse a ele sem rodeios que não tinha como ajudar na altura, mas que faria links para ver se no dia a seguir conseguissemos pelo menos qualquer coisa (comida) para as crianças.
Assim o fiz, consegui um pouco e dividi por três famílias afinal eles não são os únicos a passarem por situações extrema são muitos por aí. O homem agradeceu muito e disse repetidas vezes que me pagaria um dia destes pelo gesto, eu sorri e disse que não é necessário.
A questão que me fez e me pôs a rir atoa!
Mano, eu sou do MPLA.
E eu lhe respondi isso não faz diferença somos todos irmãos, e ele sorriu olhando pra mim nos levamos na risada. No final agradeceu e para fazer uma foto com meu telelé com seus candengues.
Caso para dizer, quando é para nos darmos a mão ou um suporte não podemos nem devemos pensar nas cores partidárias porque a dor e o sofrimento imposto não está escolhendo cor nem bandeira!
In: Mabiala Paulo